Feeds:
Posts
Comentários

Archive for outubro \25\UTC 2011

Para entender o meu poema você deverá lê-lo em um lugar tranquilo.

E deverá lê-lo devagar.

Respirando sempre muito fundo.

Deverá ainda, permanecer bem relaxado.

E depois disso tudo, você deverá também visualizar este sonho.

Como criar um ser sensível?

(Este poema não tem contra indicação de nenhuma idade)

Para criar um ser sensível,

É preciso ensiná-lo a gostar de bichos de jardim.

Como fazer isso?

Mostre para este ser como olhar diferente para o trabalho de uma formiga,

Faça com que ele aprenda a observar os caracóis.

Eduque-o para a gostar de pássaros e borboletas,

Suas asas são incríveis!
E em sua mente plante jardins surreais.

Para criar um ser sensível,
Leia para ele todos os dias.
E faça-o se imaginar dentro das histórias.

Você estará assim criando um ser encantado.

Para criar um ser sensível,

Ajude-o a abrir-se e,
A mergulhar em seus sonhos.
Ensine-o a ser livre.

Para criar um ser sensível,
Ensine-o a rir,

Ensine-o a ouvir os mais velhos,

E a respeitar a todos.

Para criar um ser sensível,

Instrua-o sempre, a fazer amigos.

Mas, lembre-se de dizer a ele, que amigos não tem, cor, raça ou credo.

Amigos são, e sempre serão, pessoas muito mais importantes que qualquer preconceito.
Amigos  preenchem a nossa casa.

Faça-os acreditar  no quanto é importante tomar uma xícara de chá com um amigo.
Quando temos amigos, nossos sonhos são mais livres.

E como fazer para identificar um amigo?

É simples…

Amigos choram juntos durante os filmes,

E riem durante as brincadeiras.

Amigos dançam a luz do luar,

E acreditam em magia.
Amigos celebram todos os momentos maravilhosos ou não, juntos.
Amigos rabiscam paredes,

E criam novos universos.

E você, como um ser especial que é,

Para ajudar na criação de um ser sensível, deve também:
Abençoá-lo.
Afastá-lo de todos os medos.

E para que isso tudo se torne realidade.
Brinque com ele.
E divirta-se como ele.

Não tenha medo de ser inocente.
E em suas brincadeiras,
Construa cabanas com lençóis,
E molhe-se com esguichos.
Cuide das plantas e flores e

Abrace uma árvore.

E aproveite tudo isso, andando de bicicleta no parque.

E por fim, deixe-lhe escrito cartas de amor.

E nelas, escreva também que este amor deverá ser ensinado de geração para geração.

Só assim teremos no futuro, SERES SENSÍVEIS.

Tânia Regina M Costa

Anúncios

Read Full Post »

Iniciando estudo Halloween


Samhain – Halloween ou Dia das Bruxas

31 de Outubro

Normalmente ela tem um narigão com uma verruga peluda bem na ponta, voa pilotando uma vassoura e faz poções mágicas. É essa a visão que você tem das bruxas? Será? Conheça melhor como surgiram estas figuras do imaginário popular.

História das (Mulheres) Bruxas

As bruxas na antiguidade

Na antiguidade, as religiões pagãs (dos habitantes de aldeias) acreditavam nas práticas de magias por meio da intervenção de espíritos, e isso era muito respeitado.

As poucas bruxas conhecidas estavam associadas aos templos da fertilidade, dos prazeres e das deusas do amor como Astarte, Vênus e Ishtar.

Elas estavam divididas em duas categorias: as mais jovens que possuíam o charme mágico e conheciam as poções e elixires capazes de seduzir qualquer homem; e as mais velhas que eram bastante temidas pela sua experiência e por causa de suas terríveis maldições.

A feitiçaria também se desenvolveu na Grécia Antiga, através de lendas como Medéia e Circe:

Na literatura grega, as feiticeiras mais poderosas eram filhas de deuses e mortais, ou mulheres abençoadas com o dom da profecia e da clarividência. Muitas bruxas viviam em locais afastados da comunidade, chamados por muitos de Oráculos.

Com a perseguição religiosa, “as bruxas” tiveram de se dividir ou se esconder para poderem sobreviver à fúria dos religiosos, e muitas outras pequenas ordens surgiram, como as Bruxas Celtas, as Brujas Espanholas, as Adoradoras de Luvithy (descendentes das terríveis Fúrias da Mitologia Grega) e outras.

A Inquisição e os Cavaleiros Templários perseguiram e exterminaram grande parte das bruxas européias, destruindo seus Covens e queimando seus altares e bibliotecas. E muitas vezes queimando mulheres inocentes que apenas trabalhavam pelo bem do seu povo. Mulheres que por saberem receitas de cura, passaram a fazer “frente” para os médicos locais e religiosos. Poucas ordens sobreviveram à Idade das Trevas, e as que sobreviveram estavam profundamente alteradas.

Os acusados eram torturados até confessarem seu suposto crime, ou então, eram queimados em praça pública (muitos não tinham crime nenhum a confessar).

O rótulo BRUXA, como conhecemos hoje, surgiu mesmo na Idade Média e se consolidaram nos famosos “contos da Carochinha” (Bela Adormecida, Branca de Neve e outros). Com a caça dos cristianistas, as outras religiões, criaram lendas sobre mulheres que tinham um pacto com o demônio e possuíam poderes mágicos e malignos.

Com o Renascimento, o papel da mulher continuou relegado a um segundo plano, e quase não se tem notícias de estudiosas ou sábias na Itália ou Espanha, deixando as velhas como conselheiras ou sábias conhecedoras de poções e elixires de cura

O mito da BRUXA sobreviveu a gerações, e chega aos dias de hoje quase intocado, principalmente no leste europeu e países com grandes florestas densas e perigosas, capazes de esconder forças que os mortais não conseguem entender.

O Festival do Halloween tem sua origem no milenar festival Celta de Shamhain
(lê-se Sou-en).

Os Celtas, viveram há 2.000, no território que hoje chamamos Irlanda, e que faz parte da Grã-Bretanha (e parte do nordeste da França). O Festival Shamhain era celebrado no dia 1º de Novembro. Este dia marcava o final do verão e da colheita, que era seguido pelo período de inverno extremamente frio e com dias sem sol. Um longo período de escuridão.

Em 31 de outubro, depois que as plantações eram colhidas, ajuntadas nos celeiros e guardadas para o longo período de inverno, o fogo usado para cozinhar nas casas devia ser extinto, um ritual de fogo novo era feito, para iniciar o novo ano.

A cerimônia do Shamhain, era realizada pelos Druidas (sacerdotes Celtas), que deveriam encontrar-se no topo da colina em meio à escura floresta de carvalho (o carvalho era considerado sagrado). Eles acendiam novos fogos e ofereciam sacrifícios de animais e alimentos, enquanto dançavam ao redor do fogo. A estação do Sol passava e a estação das trevas tinha seu início.

Quando a manhã chegava, os druidas davam de seus fogos a cada família, que
deveria então levá-los para dentro de casa e acender novos fogos para cozinhar, iluminar e aquecer a sua casa durante este novo ano.

A festa de Halloween, na verdade é uma festa de Ano Novo, para os Celtas. É uma noite de alegria e festa, pois marca o início de um novo período na vida deste povo, sendo comemorado com muito ponche, bolos e doces.

A cor da festa é o negro, o roxo e o laranja sendo o altar adornado com maçãs, o símbolo da Vida Eterna. O vinho é substituído pela sidra ou pelo suco de maçã. Deve-se fazer muitas brincadeiras com dança e música. Os nomes das pessoas que já se foram são queimados no Caldeirão, mas nunca com uma conotação de tristeza!

No Altar e nos Quadrantes não devem faltar as tradicionais Máscaras de Abóbora com velas dentro.

Exatamente à meia-noite, hora fechada aos vivos era a única hora de passagem para os seres (os mortos) que habitam em outro plano astral em busca de pedido de perdão aos vivos, para assim, alcançarem a paz.
Essa era uma ocasião da alegria associada com a colheita. As nozes e as maçãs eram associadas aos símbolos de armazenagem de frutas para o inverno. Essas frutas eram assadas em enormes fogueiras.

Por isso a maçã ficou conhecida como uma fruta “para feitiços”, por que essas pobres mulheres Celtas as armazenavam no inverno. E quando os seus celeiros foram encontrados repletos de maçãs, seus invasores as acusaram de usar a fruta para fazer feitiços ou bruxaria.
Nós aqui no hemisfério Sul, conhecemos o Halloween através da influência cultural que os Estados Unidos exercem sobre a cultura de outros países. A festa não tem grande repercussão sobre os hábitos dos brasileiros, são poucos os que comemoram a data.

Cabeças de Abóboras


Durante três dias, os Celtas acendiam velas dentro (de Nabos – mas ao chegarem aos EUA o que mais havia nas plantações eram as abóboras. Então trocaram os nabos pelas abóboras) de cabeças de abóboras para indicar os caminhos à aqueles que eles acreditavam que os visitariam (os espíritos que voltavam para pedir perdão), aos seus parentes. E estes receberiam o perdão daqueles a quem eles haviam feito sofrer. Fica esclarecido o significado da cabeça de abóbora iluminada por uma vela, além do significado de sabedoria (pela humildade para saber pedir perdão e como prova de vida além da vida).

Durante três dias, os Celtas acendiam velas dentro (de Nabos – mas ao chegarem aos EUA o que mais havia nas plantações eram as abóboras. Então trocaram os nabos pelas abóboras) de cabeças de abóboras para indicar os caminhos à aqueles que eles acreditavam que os visitariam (os espíritos que voltavam para pedir perdão), aos seus parentes. E estes receberiam o perdão daqueles a quem eles haviam feito sofrer. Fica esclarecido o significado da cabeça de abóbora iluminada por uma vela, além do significado de sabedoria (pela humildade para saber pedir perdão e como prova de vida além da vida).

Doce ou Travessuras (Trick-or-treat)

A brincadeira de “doces ou travessuras” não teve início na Irlanda, mas num costume europeu do século IX, chamado de “souling” (almejar).

No dia 2 de novembro, Dia de Todos os Santos, os cristãos iam de vila em vila pedindo “soul cakes” (bolos de alma), que era feitos de pequenos quadrados de pão com groselhas.

Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudava-na a ir para o céu.

Ao contrario do que muita gente pensa, as bruxas são

vegetarianas!

Portanto, não comem criancinhas nem tão pouco carne animal.”

E agora ….. Divirta-se!

Clique no Halloween abaixo e Happy Halloween!!!!!!!

Halloween

Bruxaria aos Amigos

Olhos de sapo, patas de rã,
que tenhas Sorte todas as manhãs!
Asas de morcego , baba de lombriga,
que sempre estejas de bem com a vida!
Patas de hipopótamo, couro de dragão,
que nada nunca machuque seu coração!

Dentes de sogra, ossos de urubu
Saibas que gosto muito de TÚ!
Unhas de gato, penas de galinha,
que sempre estejas de bem com sua vizinha!

Read Full Post »

15  DE OUTUBRO  _  DIA DO PROFESSOR

Diários.

Cadernos.

Exercícios.

Provas para corrigir.

Relatórios.

Projetos.
Críticas.

Noites mal dormidas.


E nada disso nos faz desistir do nosso sonho de:

ENSINAR E APRENDER a cada dia.
Desejar um Feliz Dia dos Professores, só no dia 15 de outubro, é certo?

Porque não desejar Feliz Dia do Professor, todo dia?

A rotina do professor é dura. Mas, nós persistimos.

E mesmo assim o nosso mundo é sempre alegre.
Tudo isso, porque sentimos prazer em ENSINAR.
Homenagens, frases poéticas, certamente farão parte do nosso dia hoje.

Porém, o que realmente nos acalma é saber que no futuro seremos lembrados, sempre.

Mas, por hoje, digo apenas FELIZ DIA DO PROFESSOR!!!!!!

Profª Tânia Regina M Costa

Read Full Post »