Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Arte Grega’

Grécia Antiga

O mundo ocidental deve muito aos gregos, que nos legaram nas artes a dramaturgia, na escultura a expressão da perfeição, na arquitetura um estilo marcante.

A arte dos povos Gregos valorizavam especialmente as ações humanas. Expressavam um ideal de beleza e tinham o homem como a criatura mais importante do universo.

Os Gregos não se submetiam as imposições de sacerdotes ou de reis autoritários. Assim, o conhecimento, através da razão, esteve sempre acima da fé em divindades. Isso aconteceu dois séculos antes de Cristo.

Dos povos da Antiguidade, os que apresentaram uma produção cultural mais livre foram os gregos.

A Escultura

 

Venus de Milo

O escultor grego acreditava que uma estátua que representasse um homem não deveria ser apenas semelhante a um homem, mas, também um objeto belo em si mesmo.

Acreditavam ainda que suas esculturas, que eram feitas de grandes blocos de mármore, deveriam respeitar as leis da simetria, estar sempre nuas, em posição frontal, ereta. Com o tempo o peso do corpo deixou de ser igualmente distribuído sobre as pernas e passou a ter movimento .

 

Discóbulo

A escultura embelezava e completava as obras arquitetônicas. Em geral, as esculturas tinham como motivo as imagens dos deuses e dos heróis. Na escultura, vale lembrar o nome de Fídias, autor da estátua da deusa Atena e dos relevos do Partenon, e Míron, famoso pela estátua do Discóbolo. Os gregos desenvolveram também a pintura, a música e a cerâmica.

 

A Arquitetura

 Na arquitetura Grega os edifícios que mais despertaram interesse, foram os templos.

Porém, a função deste templo, não era o de reunir inúmeras pessoas em oração, em um culto religioso. Mas, de proteger os seus deuses das chuvas e do Sol.

A característica mais marcante dos templos gregos é a simetria entre o pórtico da entrada e os do fundo.

Os monumentos gregos eram feitos de mármore, com linhas simples e proporções matemáticas. O que mais chama a atenção são as várias colunas postas uma do lado da outra, transmitindo uma grande sensação de harmonia.

    Três foram os estilos arquitetônicos que se desenvolveram na Grécia antiga, a partir de 1200 a.C., distintos pela forma e feitio das colunas e do capitel:

Estilo dórico, apresentando colunas de linhas mais rígidas e capitel liso, o que ofereceu uma aparência de funcionalidade.

Estilo jônico, caracterizado pela leveza e elegância das coluna

Estilo coríntio, com colunas mais ornamentadas, expressando luxo e abundância.

 

   

 

O Partenon é uma homenagem à deusa Palas Atenas, protetora da cidade de Atenas.  Construído entre 447 e 438 a.C., é uma obra retangular de estilo dórico que fica na Acrópole (cidade elevada em grego). Foi decorado com uma grande variedade de esculturas, entre as quais a da própria Palas Atena, feita pelo escultor Fídias em madeira, ouro e mármore.

A pintura.

Na Grécia, como em outras civilizações, a pintura apareceu como elemento de decoração da arquitetura.

Mas, a pintura grega encontrou também uma forma de realização na pintura da cerâmica. Os vasos Gregos são conhecidos pela sua beleza e harmonia. Além de servir para rituais religiosos, eles serviam também para armazenar, água, vinho, azeite e mantimentos.

A pinturas dos vasos representavam cenas do cotidiano e da mitologia grega.

Frasco para perfumes (Ática V a.C)

     Era costume entre as mulheres levar potes de óleo perfumado ao túmulo de seus maridos – uma forma de expressar respeito.

 

O Teatro

 

No âmbito das artes cênicas, os gregos fundaram gêneros que até hoje organizam as várias modalidades do teatro contemporâneo. A tragédia e a comédia aparecem como textos em que os costumes, instituições e dilemas da existência eram discutidos através da elaboração de narrativas e personagens bastante elaboradas. Tendo grande prestigio entre a população, o teatro atraía os olhares de várias pessoas que se reuniam para admirar e discutir as peças encenadas publicamente.

As primeiras peças de teatro grego eram apresentadas nas festas religiosas em homenagem ao deus Dionísio; as chamadas dionisíacas, deus do vinho, da loucura, dos prazeres.

     O teatro era ao ar livre e os atores usavam máscaras. Somente aos homens era permitido participar das representações, nas quais eram discutidos os problemas eternos do ser humano, como o destino, as paixões e a justiça, e também satirizados os comportamentos humanos, os costumes, e a própria sociedade.

    Os três autores de teatro mais destacados foram Ésquilo, Sófocles e Eurípedes. Suas obras, escritas no século V a.C., eram chamadas de tragédias, e a maioria delas tinha final triste. O enredo das peças gregas sempre tratava de lendas conhecidas por toda a platéia. Portanto, o que atraía as pessoas não eram as histórias (que todos já conheciam), mas o jeito habilidoso e poético como o autor as tinha escrito.

      Ésquilo, considerado o “pai da tragédia”, autor de Prometeu acorrentado, Os persas e Os Sete contra Tebas;

     Sófocles, respeitado como o mais importante teatrólogo grego; escreveu Édipo rei, Electra e Antígona, entre outras;

      Eurípedes, autor de Medeia, As troianas e As bacantes;

      Aristófanes, satírico autor de As nuvens, As rãs e As vespas.

Máscaras

 

Tragédia

 

Comédia

Anúncios

Read Full Post »